Antes uma chata de galochas que uma usando clogs

25 out

A bala bateu, o vento parou, o sol raiou, não raiou que importa? Não ligo mais pra nada, só queria confirmar. Óbvio que eu não sabia disso na hora exata que recebi o convite, mas sabe quando se está com fogo na passarinha? Era um tipo de festa boca livre e só para convidados. Isso não quer dizer muita coisa, mas quando estamos falando de uma festa só para convidados artistas, pensa aí. Sei que eu pensei e decidi ir com uma amiga totalmente depenada. A passarinha dela, não ela. Literalmente, se quiser imaginar melhor.

O funk-charme-nostalgia-carioca bombava na pista. A adolescência de outrem exalava qualquer coisa francesa. Achei violenta a altura do som. Mas isso pode ser porque eu estou velha. Ok. Estou exagerando, não posso ser tão velha assim. Talvez um pouquinho. Só um tantinho pro novo pé de galinha que aparece nas fotografias. Só que umas rugas de nada não têm relação direta com minha inadequação naquele lugar. Disfarcei bem. Por exemplo, nem me maquiei muito. Todo mundo sabe que excesso de pintura na cara envelhece se você é jovem demais para usá-la.

Esse papo todo não quer dizer nada. Velha, jovem, whatever. No desbunde ninguém está preocupado com celulites. Acho isso péssimo, malho que nem uma condenada e quase não tenho as malditas.

Enquanto todo mundo se diverte, eu fico dando uma de ciclope. É esse o nome, não é? Olhar de raio laser pros hipócritas que ali estavam. Não é louco isso? Muita caretice. Dei dois e foi uma comoção. Continuo sendo menina de família? Não há quem duvide.

Depois que o cartão passou e estávamos todos dentro, sei lá, preguiça até de relatar. Medo de ser vitrine porque não se faz mais gente que quer respirar o ar pelo nariz. Não estou exagerando, não se faz mesmo. Só umas passadas de mão na bunda de sempre e umas perguntas chatas e umas meninas que correm sem você querer correr.

Fui pra casa fugida, estava atrapalhando a dança do acasalamento dos amigos. Essa minha mania de antropologia. Em casa é muito melhor, sempre soube. Não porque lá tenho amor, que eu tenho. Muito menos porque lá estou segura, porque isso é óbvio. É que eu tenho uma alma urgente. Não gosto de perder tempo com o que é ruim.

Anúncios

4 Respostas to “Antes uma chata de galochas que uma usando clogs”

  1. Lanny 27/10/2010 às 10:56 #

    Em casa é bem melhor mesmo. Mas ainda preciso aprender o que é bom e ruim pra mim, porque tenho uma neura de achar que “curtir a vida” é sair de casa. Malditos road movies!!

    • Lia Valengo 27/10/2010 às 17:08 #

      Ah mas, eu adoro os road movies mas, isso não quer dizer que qualquer saída seja uma boa saída. :)

  2. Tarynna 27/10/2010 às 12:09 #

    adorei o “é que eu tenho uma alma urgente. Não gosto de perder tempo com o que é ruim.” beijos!

    • Lia Valengo 27/10/2010 às 17:08 #

      :) beijocas!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: