Cats

17 set

Eu devia estar, como muitas mulheres na minha faixa etária, reclamando de uma complicada vida amorosa.

Se você prestar atenção nos seus favoritos vai ver que um ou dois dos blogs que você visita, e adora, são escritos por meninas que não conseguem, ou não querem, ou têm preguiça  ah, sei lá. Tudo acaba sendo culpa dos homens. As mulheres adoram falar e reclamar das suas desventuras amorosas. Algumas ganham um bom dinheiro com isso. Enfim, não importa.

O fato é que eu passei pouco tempo sofrendo desse problema. Eu tive uma dose, que não foi homeopática, por assim dizer, de relações conturbadas. Um amor platônico, um namorado do pinto pequeno, outro que era infiel, um gostosérrimo que não tava nem aí pra mim, outro que me deixou pela minha melhor amiga, um bacanérrimo que eu não sentia tesão, outro que era puro tesão, um pra quem eu era puro tesão, um que tinha sérios problemas com drogas e um que até hoje acha que teve alguma coisa comigo. Juro que é blefe ou alucinação. Dele, claro.

Aí eu travei. Travei para a perda de tempo. O negócio é que eu descobri cedo o poder de uma boa ducha de banheiro. Ui, muito íntimo. Corta. Melhor assim; o negócio é que eu sempre fui muito prática. Só que sempre fui uma romântica, então, se estava apaixonada, porque não me jogar? Só conheço dessa maneira. Era uma praticidade para o amor. Amo e ponto. Né?

Bom, depois de algum tempo decepcionada e com preguiça, resolvi contemplar a vida. Durou pouco porque, se existe uma coisa que o universo compreende é quando você resolve parar para contemplar a vida. Sério! Pode tentar.

Aí aconteceu. Sabe quando a gente vê uma comedia romântica que faz a gente rir sozinha e sonhar e desejar ou quando a gente escuta uma música muito legal e bonita que faz a gente amar alguém que nem existe? O meu alguém existiu. Quer dizer, o meu apareceu.

Não teve muita alegoria, o que foi incrível. Não teve complicação, o  que me deixou confusa. Foi simples demais. Tão simples que eu não sabia como verbalizar isso com meus pais. Não verbalizei durante um ano até o dia do casamento, que foi feito graças à minha mãe, decifradora da minha não verbalização.

O que eu quero dizer é que eu casei com o meu heroi de comedia romântica.

Tem momentos na minha vida eu penso que só pode ser mentira. Perái! penso, isso é uma ilusão? Nem estou falando isso pela perfeição do meu príncipe, tá? Longe disso. A meia tá no chão, o armário dele tá uma bagunça, ele não sabe dobrar o lençol direito, ele nunca lembra de tirar dinheiro, não usa celular e sempre chega atrasado. Estou falando é do que eu sinto. Eu sinto um amor por essa criatura, sabe? Eu não quero estar em nenhum outro lugar que não seja ao lado dele. Ele tem uma luz, é um cara tão especial, sabe uma pessoa boa? Fora que ele é um gênio. Junto com meu Pai, meu ídolo.

Não comece a pensar que somos uns chatos de galochas. Ou que eu sou uma chata abobalhada de galochas. Se bem que, por eu ter usado essa palavra, já serei considerada uma pulha. Eita, essa foi outra.

Eu adoro minhas amigas. Girls night. Uhu! Mas gosto mesmo é quando chego em casa e tenho um sorriso indescritível pra mim. Que eu, bêbada e crítica, terei um ouvinte atento para minhas divagações existenciais. “Tá todo mundo meio desesperado e a música é velha”.

Tudo bem, não foi sempre assim. Esse sorriso não existe desde sempre. Mas é isso que o deixa mais especial. Significa que nós estamos amadurecendo.  Que, com o passar dos anos, a gente está se encaixando um no outro, respeitando um ao outro, crescendo um com o outro.

Faço o jantar, arrumo a roupa dele, compro as cuecas dele, quero ter filhos com ele, corto o pelo do nariz dele. Simplesmente não sei o que seria de mim sem o meu amor.

Eu não seria quem eu sou, isso é certo.

O que eu sou agora é uma mulher dando oi pros trinta anos sendo plena comigo mesma, dando vazão para o que eu sempre quis fazer só porque tenho um cara legal, um amigo gostoso, um companheiro fiel pra me deixar ser o que eu sempre quis ser.

Livre.

22 Respostas to “Cats”

  1. tarysmind 17/09/2010 às 22:24 #

    e que assim continue… Adoro seus textos!

    • Lia Valengo 17/09/2010 às 22:29 #

      Pois venha sempre! Beijocas.

  2. Joana Mendes 17/09/2010 às 22:27 #

    Pra mim, este foi seu melhor texto, até agora. Tão bonito.

    • Lia Valengo 17/09/2010 às 22:28 #

      Ai que especial esse elogio, nêga.

  3. Mirna 17/09/2010 às 23:58 #

    simplesmente lindo…

    • Lia Valengo 20/09/2010 às 18:30 #

      ; )

  4. Lucas Ribeiro 18/09/2010 às 11:10 #

    Cara, que legal este texto. Tão simples, tão bonito.

    Vocês duas escrevem super bem.

    Dá vontade de acompanhar, sabe?

    Parabéns, meninas.

    Parabéns, Marília. Gostei muito!

    Bjs

    • Lia Valengo 18/09/2010 às 11:43 #

      Obrigada, Lucas. Acompanhe, então. Venha sempre. Beijocas!

  5. L. de Liuba 18/09/2010 às 16:05 #

    pois eu ia dizer isso, mas não sei. nao sei se foi o mais bonito, mas que foi lindo foi. é. né? feito tu. :*

    • Lia Valengo 18/09/2010 às 17:23 #

      Bonito ou feio, foi um bem sincero. Disso eu sei. :) Hoje tem Ana B. por aqui.

  6. Raphael 21/09/2010 às 11:40 #

    Foi sim. Bateu aquele que eu tinha considerado top 3. hahahah Ve se aparece heim!

    • Lia Valengo 21/09/2010 às 12:41 #

      Vê se aparece, hein. Tô trabalhando na esquina da sua casa. Arrasei.

  7. Mãe de Artista 21/09/2010 às 19:03 #

    Oi, Marília! Sempre leio seus textos (não pense que vejo só os da Ju)e este foi bem tocante! Parabéns a vcs duas! Moooorroooo geral de inveja por não saber escrever :-( Quando eu crescer quero ser igual a vcs!! Grande bju!!

    • Lia Valengo 22/09/2010 às 14:33 #

      Oba, adorei essa participação especial!!! :)Beijoca pra tu também.

  8. Tyara 23/09/2010 às 18:05 #

    Lindo, Lia! Lindo como o amor, a amizade e a paixão, tudo misturado e anarquizado trazendo poesia pra embalar os dias, as noites e agora as tardes floridas. Porque é primavera, vamos amar.

    • Lia Valengo 24/09/2010 às 15:29 #

      Vamos amar, Tyty, que amar é a melhor forma de rebeldia.

  9. barbara 24/09/2010 às 16:39 #

    marilis! perfeito.

    • Lia Valengo 25/09/2010 às 10:58 #

      ;) Lembre-se das ilustrações.

  10. alexcamilodemelo 27/09/2010 às 09:22 #

    Com todos os defeitos vocês sempre foram pra mim um casal perfeito. Um yin e yang sabe, o que sobra em tu falta nele e vice versa. Vocês são uma beleza de se ver. um beijo pros dois.

    • Lia Valengo 27/09/2010 às 14:33 #

      Um beijo pra tu, amigo querido.

  11. 11/10/2010 às 11:12 #

    Nossa, que bacana. Um post sobre o amor que não é babaca, que não é piegas, que é assim, simples. Real. Eu gostei tanto. Me vi traduzida aí.

    Beijos

  12. Lanny 11/10/2010 às 20:53 #

    Os dois merecem ficarem bonitos assim de amor! :)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: