Menu do dia

15 set

Ela coloca a cera no meu antebraço e pergunta se está bom pra mim. Penso que nada ali está bom e que se é pra acontecer, que seja de um vez, quem precisa de preliminar naquela sala?  Sei que é batido, sei que homem nem gosta desse assunto. Homem gosta mesmo é de ver tudo limpinho. Naquela região, desmatamento é coisa permitida e prevista por lei.

Longe de mim queimar sutiã na praça. Estou envolvida no sistema de tal forma que nem penso mais. Tá, penso só um pouquinho, principalmente quando chego na recepção dessas casas de depilação.  O negócio é tão descarado que fica tudo ali, em um grande painel, pra todo mundo ver e ouvir. Naquele lugar, a intimidade da sua região pubiana não pertence só a você. Não adianta falar baixinho, com vergonha, que também vai fazer “a parte de trás”. Ela vai perguntar, a mulher, aquela mulherzinha que deve fazer do tipo artística, vai perguntar bem alto: A senhora também vai fazer o ânus?

Julia Roberts sabe muito bem do que estou falando. Ela foi vista dia desses com os suvacos “in natura”. Frida Kahlo, minha musa, era outra que gostava de se rebelar. Minhas tias, em algum momento da vida, também andaram deixando a gilette de lado. Acho que Tia Pata até hoje não curte muito uma depilação. Eu acho lindo. Mas eu me depilo.

Tive o infortúnio de achar que devia me raspar aos 11 anos. Resultado, sou escrava da cera até hoje. Isso mesmo, escrava. Eu ainda não me acostumei. Acho lindo o resultado mas faço por obrigação. Suo frio todas as vezes inclusive quando a depiladora coloca um espelhinho lá embaixo pra perguntar:

-Tá cavado o suficiente pra você?

Olha, eu nunca tive problemas com espelhinhos, já andei me pesquisando, né? Hello. O problema é outra pessoa fazer isso junto com você.Toda vez, toda santa vez que estou lá, naquelas calcinhas descartáveis, me pergunto o que leva alguém a escolher essa profissão? Porque, né, pessoal, depiladora é tipo dentista. Tem que encarar mau hálito às vezes.

Parece até coisa de mulher em depressão, primeiro eu falei que não queria fazer a unha e agora eu reclamo contra a depilação. Não entendam mal, todo mundo dá uma piradinha ou, pelo menos, questiona certas coisas que se faz sistematicamente. Acho saudável, acho que é isso que mantém a juventude em dia, mesmo com o passar dos anos.

O negócio é que viver não é preciso. Um dia tá nublado, outro dia faz sol.

Mas depilar, oh céus, haja precisão pra fazer a tal virilha cavada.

22 Respostas to “Menu do dia”

  1. @aperteoalt 15/09/2010 às 14:30 #

    O que eu posso dizer? CORAGEM! ;-)
    Beijos.

    • Lia Valengo 15/09/2010 às 14:31 #

      hahahahahah, é isso aí.

  2. Ju Dominguez 15/09/2010 às 14:49 #

    Amiga, eu te falei. Passei por isso duas vezes na minha vida pra nunca mais. Admiro a coragem, mas laser taí pra ser parcelado, e gilete taí pra quebrar um bom galho. Não tenho condições psicológicas de encarar isso aê de novo não. Arrasou na atitude.

    • Lia Valengo 15/09/2010 às 15:03 #

      Amiga, são várias as condições, nenhuma psicológica. :)

  3. Ju Dominguez 15/09/2010 às 14:49 #

    Virilha cavada com contorno, retorno e transtorno.

    • Lia Valengo 15/09/2010 às 15:05 #

      Ei, esse devia ter sido o título desse texto.

  4. alex camilo de melo 15/09/2010 às 14:53 #

    Adorei essa tua nova casinha, vou favoritá-la já.
    Quem não se rebela com essas coisinhas chatas impostas pelo sistema. Eu pelo menos umas mil vezes por dia. Sou totalmente solidário com a causa das mulheres femininas. Saudades de tu. Um abraço.

    • Lia Valengo 15/09/2010 às 15:03 #

      Alex, adorei sua visita. Adorei tê-lo como leitor. Vem sempre mesmo!!! Beijocas!!!

  5. Vanessa 15/09/2010 às 15:23 #

    Gente, atoron esse papinho calcinha!
    Haja coragem viu? Tbm acho que não teria condições psicológicas de encarar

    Arrasou!

    • Lia Valengo 15/09/2010 às 15:35 #

      Vanessa, é o problema da vaidade. aiai, o que a gente não faz?

  6. Raphael 15/09/2010 às 17:19 #

    Concordo com a Ju sobre o Laser. Isso é muita tortura meu pai do céu. O mais engraçado é que é um assunto normal. Tipo normal. Meu deus, essa dor nao pode ser levada como se fosse um beliscão. Eu tenho trauma só de ter presenciado uma amiga minha nas suas primeiras depilações, ela xingava a mãe de “filha da puta” pra baixo. Quem poderia dizer que o xingamento era desrespeito? Ninguém. Hoje ela é adepta a tecnologia e não xinga mais ninguém.

    • Lia Valengo 15/09/2010 às 19:14 #

      É verdade, mas gilette deixa nossa virilha com jeito de barba de marmanjo. Não dá. E laser, sei lá, é uma opção a se pensar. :)

  7. Tarynna 15/09/2010 às 17:22 #

    Adorei seu texto e a forma espontânea como narrou! Sou adepta, mas perdi as contas das vezes que me perguntei durante o tal do procedimento porque aguentamos o tal sofrimento em nome da vaidade hehehe

    abraços

    • Lia Valengo 15/09/2010 às 19:15 #

      Essa pergunta rola toda santa vez. É um mal necessário (?). Beijocas!!!

  8. quel 15/09/2010 às 19:11 #

    dói mas vicia. acho que devia ser obrigatório rolar uma garrafa de champanhe depois, algo que compensasse toda a coragem, esforço e concentração.

    e você devia abrir um consultório especializado em questões femininas. eu pagava até particular.

    • Lia Valengo 15/09/2010 às 19:17 #

      ADOREI a ideia do champagne. Porque é muito sofrimento e ninguém chega pra gente e diz: parabéns pelo esforço! Ou antes, né? Antes seria interessante tb.
      Obrigada pelo elogio, Quel.

  9. lanusse 15/09/2010 às 19:31 #

    viva e deixe crescer: nesse ponto, vera fischer, claudia ohana e marina lima é que são felizes. massa o texto, lindinha! :)

    • Lia Valengo 15/09/2010 às 20:01 #

      ;) brigada beiboca.

  10. Lanny 16/09/2010 às 22:24 #

    gilette é minha amiga e nada me faltara! deusolivre eu passar por este tormento!!
    massa o texto!! Beijos!

    • Lia Valengo 17/09/2010 às 10:16 #

      Você não é a primeira que comenta comigo sobre ser adepta da gilette e eu já começo a pensar que tô sofrendo à toa. :)

  11. barbara 24/09/2010 às 16:17 #

    eita! esse assunto é sempre bom. Conheço as depiladoras de recife, salvador e as cariocas. As pernambucanas são jeitosinha e reclamam da vida, as baianas são arretadas e ficam cantando enquanto puxam os pelinhos. As cariocas, o que dizer? prefiro não me queixar, que até agora só uma foi punk-rock: eu disse: é so aqui, e quando vi: cade eu?

    • Lia Valengo 25/09/2010 às 10:57 #

      babizita, de vez em quando elas vão com tudo. Mas tu nem liga, tu é adepta que eu sei. :)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: