Bessa

4 ago

É o meu sangue. São todas as hemácias e hemoglobinas que, combinadas, formam a minha cola vital. Não dá pra fugir e olhe que a gente tenta. Toda a gente do mundo viaja milhares e milhares de quilômetros. Ou de neurônios. Ou de status social. Ou de preferências musicais. Só para fugir desse superbond genético.

Não dá. Nem vai servir pra nada porque quando o vento soprar ou quando aparecer uma fotografia perdida dentro de um livro e seu cérebro, treloso, puxar uma lembrança de um olhar do seu pai, fugaz, um olhar despreparado, e essa lembrança despertar em você a compaixão, aquele sentimento universal, aquele amor que você sente pela humanidade inteira, inerente à sua natureza, você vai saber.

Tantas fantasias, fugas, tantas mentiras que você anda se dizendo e a cura está logo ali. Correndo nas suas veias. Seu laboratório pro amor. Seus padrões e sua vontade de fazer diferente.

Diga aí, não é massa demais? Não é louco demais? Não é natal demais que tudo comece em dois e vá e vá. Gente entra e gente sai. A  gente chega de visita e a gente recebe novas visitas, uma vez filha, outra vez mãe.

Eu não me canso e me esgoto.

Eu em carne viva e eu cheia de esparadrapo.

Eu nada a ver e eu tudo vendo, observando, feliz, na minha dança tribal.

10 Respostas to “Bessa”

  1. Ju Dominguez 04/08/2010 às 11:40 #

    É isso aí. Soma-se 1 + 1 e dá tudo. Adorei. :)

    • L. de Liuba 04/08/2010 às 12:39 #

      você tá ficando cada vez melhor, bróder – como é pra ser, afinal… só falta me ligar pra gente se ver!!

    • Lia Valengo 04/08/2010 às 17:28 #

      vou pra fazenda amanhã, brow, te ligo na vorta. beijocas!

  2. Raphael 04/08/2010 às 23:30 #

    Muito bom a parte que fala dos nossos próprio recursos. É bom reconhecê-los, bom percebê-los, bom demais mesmo. Muito melhor até que perceber nossos erros, é bom perceber que a gente erra pra não ser um tapado na vida, mas perceber que acerta, e quando, é fodaraaaaalho. :D

    BEJOCA

    • Lia Valengo 05/08/2010 às 01:02 #

      É isso aí, o negócio é respeitar a cagada . Mas, antes de tudo, saber que ela existe. Família ê, família á, família. Come on over baby.

  3. deta 05/08/2010 às 21:47 #

    lilinha, suas vindas jotapÊ me trazem um gosto sempre adormecido. é uma volta feliz em algum lugar do meu coração. é um cheiro da fraudinha de dormir, um enrolado no cabelo e uma risada verdadeira. fica sempre guardado, mas nunca esquecido. é o amor! é a falta que vc me faz! é a minha irmã protetora por perto… te amo, te amo e te amo!

    • Lia Valengo 07/08/2010 às 17:11 #

      Ismã, a gente tá uma dentro da outra. Eu só existo melhor porque te amo.

  4. quel 06/08/2010 às 19:57 #

    no meu caso, a soma de dois resultou em duas, e às vezes me pego desejando o mesmo.
    meu relógio biológico tem disparado de vez em quando.

    eu to querendo levar o amor para o rio em setembro. e quero muito te encontrar! aliás, estamos eu e ty organizando nossos calendários pra pegar esse avião. :)

    • Lia Valengo 07/08/2010 às 17:09 #

      Esse encontro está mais que marcado. Ai que delícia que vai ser!

  5. lanusse 17/08/2010 às 19:28 #

    coração alcachofra: aberto, suave e dolorido, feito para ser assim. beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: